Um dia o sol morrerá

“Toda homem e toda mulher é uma estrela”
Aleister Crowley

Os seres humanos podem existir em nosso mundo hoje por causa dos ingredientes que compõem nosso planeta e por causa da luz e calor emitidos pelo nosso Sol.

Depois que o Sol “se pôr”, os mundos futuros terão as mesmas chances do nosso mundo, devido aos elementos que as gerações anteriores de estrelas criaram.

Um dia o Sol morrerá, e é por isso que você está vivo

Nossa existência é finita, mas isso não é motivo para desespero. Aqui está uma versão da história que todos devemos ouvir pelo menos uma vez.

Este mundo e, a propósito, todo o Universo, está cheio de coisas que inspiram admiração e fascinação. Muitas vezes nos maravilhamos com a variedade de maneiras que a matéria e a energia podem se ligar.

Toda encarnação é única e faz parte da mesma história cósmica que compomos. Mas a existência também é aterrorizante, pois toda estrutura que o Universo cria é fundamentalmente finita, limitada e condenada à destruição inevitável, com tempo suficiente.

Em particular, há um fato científico que universalmente parece abalar toda e qualquer pessoa ao descobri-lo: o fato de o Sol, nosso Sol, que traz calor, luz, energia e a força de toda a vida neste planeta, não é para sempre, não vai brilhar para sempre…

Morrerá em uma explosão catastrófica e ardente, que aniquilará todo o nosso planeta.

sol-engolindo-a-terra

À medida que o Sol se torna um verdadeiro gigante vermelho, a própria Terra será engolida e  definitivamente será assada como nunca antes.

Mas isso não é motivo para se desesperar. De fato, a inevitável morte do Sol, é uma parte natural e necessária do Universo. Sem esse componente do ciclo de vida do Sol, não estaríamos aqui.

A morte do Sol e de todas outras estrelas semelhantes a ele, tais mortes são necessárias para provocar a existência de criaturas como nós.

É uma parte integrante da nossa história estelar – o fato de que todas as estrelas acabam morrendo -, pois são os elementos ​​criados apenas durante a vida (e a morte) de uma estrela que permitem ao Universo ter: planeta rochosos,elementos como carbono, nitrogênio e oxigênio, moléculas complexas e reações químicas, e, mais importante, vida.

moleculas-estelares

Os átomos podem se ligar para formar moléculas, incluindo moléculas orgânicas e processos biológicos, tanto no espaço interestelar quanto nos planetas. Se os ingredientes da vida estão em toda parte, a vida também pode ser onipresente. Tudo foi semeado por gerações anteriores de estrelas. 

Ainda assim, o fato de que estamos falando do nosso Sol torna seu destino inevitável muito mais triste de se pensar. Quando estamos sendo intelectualmente honestos conosco, enfrentamos não apenas a nossa própria mortalidade, mas o desaparecimento de literalmente tudo o já encontramos ao longo de toda a história do nosso planeta.

O Sol, como muitas estrelas semelhantes, um dia ficará sem combustível e morrerá. Quando isso acontecer, nosso planeta encontrará um destino aterrorizante, mas novos mundos e estrelas resultarão no final.

A morte de uma estrela traz uma história notável de renascimento cósmico e possibilidades de vida para o universo. É uma história da criação que anda de mãos dadas com a destruição.

Pensamos no Sol como o doador de luz e calor ao nosso planeta, bem como o facilitador da vida em nosso mundo. Sem ele, não haveria oceanos, plantas ou vida em nosso mundo. Mas sem as gerações anteriores de estrelas, nosso próprio Sol e Terra não estariam aqui.

O Sol que você conhece, a coisa mais brilhante do céu, não é muito diferente de qualquer outra estrela no céu. Mesmo durante o dia, existem mais de centenas, mais do que milhares de estrelas no céu. Você seria capaz de vê-las também, exceto que nossa estrela, o Sol, é tão próxima de nós que seu brilho torna todas as outras estrelas invisíveis, exceto na escuridão da noite.

yosemeti

Essas estrelas, todas e cada uma delas, vivem muito, muito mais do que qualquer coisa na Terra já viveu. Enquanto seres humanos saudáveis podem viver talvez por cem anos; todas as estrelas vivem ardendo intensamente por milhões, bilhões de anos.

Isso é muito, muito tempo! Mas não é para sempre, e, acredite ou não, temos sorte de que não é para sempre. Porque se as estrelas nunca morressem, não poderíamos estar aqui, eu não estaria aqui e você não estaria também. E estou muito feliz por estarmos hoje, porque hoje posso compartilhar com você um dos segredos mais incríveis da vida com você.

O segredo é que praticamente tudo o que compõe você, eu e todo o planeta – foi feito dentro de uma estrela. O ferro no sangue, o cálcio nos ossos, o nitrogênio nos músculos e o oxigênio nos pulmões foram produzidos no interior das estrelas há muito tempo.

O corpo humano é feito de músculos, ossos, órgãos e sangue, mas isso não é tudo. Se olharmos para tudo o que nos compõe, em um nível cada vez menor, finalmente chegaremos aos átomos e núcleos atômicos, que são praticamente exclusivamente feitos dentro das estrelas.

corpo-humano

Mas criar todas essas pequenas peças não é suficiente. Eles também precisavam se unir para nos formar, e é muito quente para fazer algo como você e eu dentro de uma estrela. Para fazer a Terra, e você e eu, todas as coisas boas que as estrelas fazem, precisam sair, para que elas possam fazer algo novo. E como isso acontece?

Elas têm que explodir.

Algumas estrelas explodem rapidamente e de uma só vez, enquanto outras explodem após milhões de anos de silêncio. Outros ainda vão com muita delicadeza, como pensamos que nosso Sol irá daqui a muitos bilhões de anos.

Perto do fim da vida de uma estrela semelhante ao Sol, ela começa a explodir suas camadas externas nas profundezas do espaço, formando uma nebulosa protoplanetária como a Nebulosa Egg.

egg-nebulosa

Mas é o interior daquelas estrelas, cheio de coisas que ela fez enquanto brilhava tanto, que tornam toda a vida possível. O interior dessas estrelas, criadas após milhões ou bilhões de anos delas brilhando, retornam ao resto da galáxia.

Uma vez lá, ajudam a criar novas estrelas, como o nosso Sol, e também planetas, como a Terra e – um pouco desse interior também forma você e eu.

As estrelas do passado tiveram que morrer para que você pudesse estar aqui e, algum dia, a partir de agora, nosso Sol retribuirá o favor e ajudará a criar novas estrelas, novos planetas, novos mundos e novas chances de vida.

Então, sim, é verdade que o Sol explodirá algum dia. Mas quando isso acontecer, esse é o maior presente que qualquer estrela pode esperar dar ao Universo. Seria muito ganancioso guardar tudo isso para nós. Afinal, foram necessárias bilhões de estrelas já dando esse presente para fazer você.

E sabe de uma coisa?

Valeu a pena. Valeu a pena receber esse presente para fazer você.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *