Além do que se ganha em compreensão, conhecimento de si e dos outros por intermédio das grandes obras da tradição, é preciso saber que elas podem simplesmente ajudar a viver melhor e mais livremente […] Aprender a viver, aprender a não mais temer em vão as diferentes faces da morte, ou, simplesmente superar a banalidade da vida cotidiana, o tédio, o tempo que passa, já era o principal objetivo das escolas da Antiguidade Grega. A mensagem delas merecer ser ouvida, pois, diferentemente do que acontece na história da ciência, as filosofias do passado ainda nos falam.

Luc Ferry, Aprender a viver: filosofia para os novos tempos, pag. 16-17. Editora Objetiva.

Façamos inicialmente a seguinte pergunta: pode o dinheiro ser organizado de acordo com o princípio da liberdade? Poder tem um livre mercado na esfera monetária assim como o há um livre mercado para outros bens e serviços? Qual seria o formato de tal mercado?

Murray N. Rothbard, O que o governo fez com o nosso dinheiro?, pag. 12, LVM Editora, 2013.

Existe um poder pessoal que é diferente do poder sobre os outros?

O poder pessoal e o poder sobre os outros são duas coisas completamente diferentes. E não só diferentes, mas diametralmente opostas. A pessoa que conhece a si mesma, que compreende o seu próprio ser, que entende o significado da sua vida, de repente tem uma explosão de poder…

… É mais como a luz do luar do que como a luz do sol – tranquila, calmam, bela. Um homem assim não tem nenhum complexo de inferioridade. Ele é tão pleno, tão satisfeito, tão absolutamente bem-aventurado que não há razão para ele sentir ambição de ter poder sobre os outros. Eu chamo isso de o poder do místico…

…O poder pessoal pertence ao místico… Este é um poder muito sutil… Simplesmente faz você entrar em sintonia com o místico… Você não se torna um escravo; tornar-se um amante… A simples presença do místico cria uma imensa aura…

O poder sobre os outros é feio. É inumano, porque ter poder sobre alguém significa reduzir essa pessoa a uma coisa. Ela se torna sua posse…

O poder sobre alguém reduz a individualidade da outra pessoa, reduz sua espiritualidade até torná-la apenas um produto de consumo, uma coisa. Durante séculos, homens e mulheres foram vendidos nos mercados como outra mercadoria qualquer. Uma vez que você adquire um escravo tem todo o poder sobre ele. Isso pode satisfazer pode satisfazer alguma psicologia insana e doente, mas não é saudável, espiritualmente saudável…

Trecho retirado do livro – Poder, política e mudança – Osho.