Ode à Violência

Uma gota de vermelho rubi em meus lábios
Sangue
O gosto metálico da vida em minha língua
Meu sangue
Minha dor
Minha glória
Há uma violência que nos degrada
O tipo que se arrasta sobre você na escuridão da noite
Te imobiliza e dá seu último suspiro
Esta violência nascida do ódio gera mais dela
É do tipo que oblitera países inteiros e culturas e línguas e pessoas
Enche o ar com fumaça e cobre o chão em cinzas
Mas então, há violência que não é nenhuma daquelas coisas
Há violência que transforma você toda vez que você a suporta
O tipo que te transforma em cinzas para que você possa ressuscitar
O renascimento de um guerreiro feroz
Você nunca vai esquecer o que é estar na beira da morte
Nesse momento, você entende como é ser vivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *