Nossas opiniões dificultam nossa busca por clareza?

Opiniões, temos muitas. No entanto, nunca ficamos fartos delas. Nós opinamos sobre tudo, desde política, ciência e religião, e geralmente o fazemos sem uma compreensão substancial dos problemas. Nossa propensão a chegar a opiniões rápidas e instintivas é prejudicial e perigosa.

À medida que crescemos, desenvolvemos uma lente através da qual vemos o mundo. Determina nossa visão da vida em todas as esferas, como política e religião, e mais frequentemente nossas opiniões são formadas subconscientemente para se ajustar a essa perspectiva.

A estrutura através da qual essas opiniões são formadas é o conjunto de experiências que tivermos e as opiniões e informações que foram alimentadas (ou se alimentaram) desde a infância.

Com o tempo, desenvolvemos preconceitos inconscientes sutis que, sem saber, usamos como a estrutura pela qual produzimos nossas opiniões.

Mesmo quando sabemos que é esse o caso, é difícil sair dessa estrutura e ver o mundo sob uma lente diferente.
Outro dia, descobri alguns argumentos contrários a algumas de minhas crenças profundamente enraizadas. Enquanto os lia, observei como me sentia, prestando atenção aos meus pensamentos e sensações físicas.

Fiz duas observações importantes.

Primeiro, observei que tinha uma tendência a me apressar nos contra-argumentos. Era quase como se eu não quisesse entender. Segundo, o ritmo em que respiro mudou – respirei mais rápido e mais rápido.

Concluí que estava tão identificado com meus pontos de vista, tão acostumado às minhas lentes, que não apenas me sentia desconfortável com uma lente diferente, mas também havia dentro de mim um impulso visceral para destruir o contra-argumento, mesmo antes de entendê-lo completamente. . Eu estava lendo com a intenção de refutar, em vez de entender o que estava sendo discutido.

Eu acredito que este seja um problema comum. Muito poucos de nós têm tempo ou energia para nos aprofundarmos em vários assuntos, a fim de formar opiniões sólidas e bem informadas.

Está bem. Mas o que seria perigoso é se nos resignarmos a formar opiniões automáticas, subconscientes, nas quais começamos a basear nossa identidade.

Afinal, realmente precisamos ter uma opinião sobre tudo? De que servem as opiniões que não fizemos sinceramente um esforço para formar através de um estudo profundo e autoconsciente?


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *