Dispositivos inteligentes não são inteligentes

Dispositivos inteligentes não são inteligentes. Quero dizer, como eles podem ser?

Seus “cérebros” residem em outro lugar, no computador de outra pessoa. Quando esse computador, ou sua conexão com ele, se despede, seu dispositivo se transforma em um pedaço inútil de plástico e metal. Torna-se uma fonte de frustração. É praticamente inútil.

Esta é a razão pela qual eu prefiro, sempre que possível, ter um dispositivo chamado burro. Uma geladeira idiota. Uma TV idiota. Claro, esses dispositivos podem não ser sofisticados ou de ponta, mas posso ter certeza de que funcionarão. Eu não preciso me preocupar com eles se tornarem menos do que deveriam ser quando um serviço é interrompido ou uma empresa vai à falência.