Quando eu era mais jovem, a depressão e a ansiedade tornaram minha vida um inferno. Minha mente estava destruída, e isso se espalhou por todas as áreas da minha vida. Procurei por “felicidade” temporária a cada passo, o que só piorou minha situação no longo prazo. Foi um ciclo do qual tive que rastejar, arranhar e me arrastar para sair. Aprender a disciplina para reprogramar meu cérebro tornou a tarefa de Sísifo mais fácil.

No início, li livros sobre hábitos, tentei copiar os hábitos dos outros, tentei usar as táticas dos outros, tentei me fundir aos ideais dos outros pensando que me faria feliz. Eu estava mascarando meu problema, em vez de resolvê-lo. No final das contas, eu tive que descobrir minhas próprias razões para tentar me consertar. Eu tinha que descobrir o que eu realmente queria e mapear meu próprio caminho para chegar lá. Eu tive que fazer um inventário de mim mesmo e descobrir o que estava me segurando.

Eu precisava melhorar minha vida para meu próprio bem: para finalmente derrotar meus demônios, sentir que minha vida tinha um significado, saber do que eu era capaz – em resumo, me sentir realizado na vida. Eu sabia que isso não poderia acontecer a menos que eu parasse de me prejudicar por meio de certas ações e por inação. Desfazer hábitos é difícil. É desconfortável e sua mente e seu corpo lutam com você a cada passo do caminho.

Em suma, a disciplina é um treinamento da vontade.

A autodisciplina é a habilidade que você desenvolve para domar os padrões de pensamento e hábitos que o impedem de se realizar. Requer certo autoconhecimento e autocompreensão. É um treinamento de vontade e uma reordenação de seu autoconceito – substituindo padrões de pensamento e hábitos para se reprogramar por meio das escolhas que você faz a cada dia. Ela se origina do desejo e da necessidade de mudar o suficiente para estimulá-lo a agir. Sua mente e seu corpo resistem, mas você segue em frente. Você sabe que domesticar a si mesmo continuará a empurrá-lo para mais perto do ideal pessoal que produz autoconhecimento, propósito e realização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *